Por Vanessa Nova

Embora a palavra “deusa”  seja onipresente no mundo do feminismo e crescimento pessoal das mulheres de hoje, não há realmente nenhuma outra única palavra no idioma inglês que simbolize o princípio do divino feminino, o aspecto feminino da força de Deus. O culto da deusa remonta a tempos imemoriais e engloba culturas e práticas em todo o mundo e de fato há um benefício substancial para a mulher espiritual na recuperação da deusa em sua vida.

Na tradição kabbalística temos a Shekinah, a presença feminina do divino. No hinduísmo, ela é chamada Shakti, que significa literalmente “empoderamento”, o potencial criativo e primordial de tudo que permeia o poder feminino. Então, como podemos ir além das tendências bem-intencionadas do feminismo e espiritualidade iluminada da deusa em forma de realização experiencial profunda da nossa divindade feminina inerente?

No meu treinamento com a Escola Moderna de Mistérios, bem como em minhas explorações dedicadas e curiosas do feminino, eu me deparei com algumas chaves poderosas que nos dão o potencial para realmente desbloquear e encarnar nosso poder feminino.

Magia

Colocando de forma simples, a magia está criando algo do nada, ou transformando alguma coisa em outra coisa. Na tradição de magia, os arquétipos da deusa sempre foram predominantes e cada deusa tem seu próprio tipo especial de magia. A prática da magia nos dá os meios para aproveitar os sistemas antigos, a fim mudarmos nós mesmos e nosso mundo. Considere que você e tudo ao seu redor seja composto de energias elementares, ou seja, terra, água, ar, fogo e espírito. A fim de dar forma a sua vida com a de uma deusa – no corpo, emoções, mente e espírito – ter um comando e incorporar a compreensão dos elementos é uma vantagem essencial.

Ativação

Um aspecto importante do empoderamento feminino é a ativação dos sistemas de energia sutil no corpo feminino. As modalidades de cura antigas verdadeiramente servem para despertar e ativar o fluxo de luz e energia em seu ser e, portanto, em sua vida. Tradições tântricas falam de um circuito de Shakti, uma via de fluxo de energia feminina dentro do corpo, que é despertado em um processo específico.



A porta de entrada para despertar esta via está localizada na base do crânio, na parte de trás do pescoço, em um centro de energia chamado de “Boca da Deusa.” No antigo Egito, esta cerimônia de ativação era realizada para iniciar sacerdotes e sacerdotisas. Hoje, nós ainda executamos esta ativação no seu procedimento original, e nós a chamamos de Ativação de Vida.

Esta ativação permite você ver o seu potencial, conhecer e amar a si mesmo mais profundamente, viver mais alinhado com seu eu superior e propósito na vida, e mover-se para um caminho acelerado, incorporando  a sua presença e poder.

O Arquétipo Feminino

O que é o poder feminino? Ao explorar o vasto espectro de deusas e arquétipos que foram conhecidos nas tradições do mundo de magia e espírito, temos um vislumbre do nosso poder multifacetado como mulheres.

A essência da feminilidade vem em uma grande variedade de sabores e para reivindicar o nosso poder como mulheres, nós podemos olhar para arquétipos antigos como espelhos de nossa natureza feminina, da jovem donzela e mãe carinhosa, para a velha sábia, a musa criativa, e a guerreira furiosa. Com as expansões graduais de energia que podemos ganhar ao longo do caminho iniciático, tornamo-nos cada vez mais capazes de incorporar e acessar o mundo arquetípico.

Eu Sou a Deusa

Um dos princípios centrais da tradição hermética de mistério é a idéia de que “Eu sou Deus” e, claro, isso significa que você também é. A nossa tradição também identifica a divindade tanto masculina como feminina, uma união divina.

Assim, se “Eu sou Deus”, então “Eu sou a Deusa.” Na tradição hindu da Índia, as mulheres são Shakti, vivendo e respirando representantes do divino feminino no mundo físico. Ver-se como a personificação física do divino feminino é realmente poderosa. Uma vez que você comece a acreditar e viver como a deusa que você é, a vida se torna verdadeiramente mágica.

Estilo Sagrado

Pode parecer paradoxal fundir o mundo superficial da beleza e da moda com a espiritualidade e capacitação, mas eu acredito que há um doce lugar mágico, onde estilo pessoal se reúne à intenção sagrada.

Você pode usar o seu vestuário, acessórios e estilo de vida para explorar conscientemente a criatividade, expressão e sentir-se radiante, confortável, sexy, e testemunhar sua luminosidade original e essência feminina. Vivendo como a deusa que você é na aparência ( exterior) e sentimento (interior), como o ser espiritual multidimensional que você é.

Realização

O objetivo final de qualquer esforço espiritual é unir a consciência infinita e divina com a experiência humana de estar em um corpo. A vida em um corpo humano é uma sinfonia complexa e maravilhosa de múltiplas camadas de energia, tecendo físico, emocional, etérico, mental e espiritual. A arte da personificação feminina tem como objetivo trazer todas essas energias em harmonia e maestria dentro do corpo feminino.

Através da prática podemos compreender as energias sutis do corpo feminino e essência feminina, experimentar o poder das emoções que se deslocam, e mergulhar em uma presença poderosa e experiência desperta de viver radiante como espírito no corpo – que une o céu e a terra.

Saúde Radiante

O verdadeiro bem-estar vem de estar em harmonia e alinhamento em todas as partes de nossas vidas, não apenas nos alimentando corretamente. As mulheres têm necessidades específicas quando se trata de saúde.

Nossos corpos femininos têm sistemas hormonais e de energia exclusivamente femininos e requerem sutileza para manter o equilíbrio. Nossos relacionamentos também são fundamentais para o nosso bem-estar.

Nossas relações com nós mesmos, nossos corpos, o alimento que ingerimos, a terra, os nossos ciclos menstruais, dar e receber, os nossos parceiros e as pessoas em nossas vidas, nosso trabalho e carreira – tudo isso afeta como experimentamos o bem-estar. Encontrar o brilho da deusa requer um compromisso com o seu bem-estar em todos os aspectos de sua vida.

Amor Próprio

O relacionamento mais importante que sempre teremos é a relação com o nosso EU. O amor próprio para a maioria de nós é uma habilidade aprendida. Quando aprendemos um auto-cuidado primoroso, quando temos compaixão e bondade para nós mesmos, floresce a nossa essência feminina.

A verdadeira emancipação só pode ocorrer quando você for capaz de trabalhar com suas sombras, para acabar com a limitação do ego negativo.

Como mulher, muitas vezes condicionada desde a infância por normas sociais ilusórias de feminilidade, amar o seu verdadeiro eu e seu corpo físico é uma chave essencial para transpor o que pode estar te impedindo de ser a deusa que você é.

Texto traduzido da revista Magus Magazine

Comece o seu despertar com a Ativação de Vida