cu-chulain-1

Por Lorraine Henrich

Cu Chulain nos ajuda a lembrar que deixar ir o medo permite a cada um de nós abraçar plenamente a alegria da vida no plano físico, vivendo cada momento com a cabeça erguida.

Os ensinamentos das Escolas de Mistérios revelam que todos os seres humanos nascem da mesma semente Adâmica ou de Deus. Mesmo após milhares de anos, esta semente divina está dentro de cada homem e mulher. Somos, de fato,  descendentes diretos dos deuses e deusas e as suas histórias são um lembrete de nossa própria linhagem real. Um ser divino que andou pela Terra era o poderoso guerreiro Cu Chulain, também conhecido como o Cão de Ulster.

Cu Chulain literalmente surgiu na Irlanda do Norte, uma criança de cabelos louros de fogo cujas origens eram desconhecidas, mas para todos os que o conheciam sabiam de seu desejo de se transformar no guerreiro que estava destinado a ser. Na idade de cinco anos, Cu Chulain começou este treinamento na Vila de Emain dentro da província de Ulster. Destacou-se muito além das outras crianças e com a idade de sete anos deixou sua aldeia para estudar as artes marciais com sua bela professora Scathach.

Ele estava no auge do poder, mas sua província Ulster não estava. Ulster foi amaldiçoada por nove gerações e os soldados do Ulster estavam condenados em qualquer situação onde a terra estivesse sob cerco ou qualquer tipo de ameaça. Devido a esta maldição antiga, em momentos de dificuldade, eles estavam condenados a uma dor física que dissolvia toda a capacidade de enfrentar o desafio. Só as mulheres, crianças e Cu Chulain estavam isentos da maldição infligida às gerações anteriores da aldeia.

Quando Cu Chulain tinha 17 anos, sua província Ulster foi desafiada à batalha sobre um de seus pertences mais valiosos: um touro marrom invejado pelos rivais Rainha Madb e Rei Aillil. O rei e a rainha reuniram soldados de suas aldeias vizinhas e uniram milhares sob sua única bandeira. Devido à maldição do Ulster, Cu Chulain teve de uma só tacada lutar contra milhares de inimigos enquanto eles se aproximavam de sua terra. Usando magia, força e astúcia, Cu Chulain lutou como um exército de um homem, pegando seus mais fortes adversários um por um. Durante esta batalha, o que levou muitos dias e noites, o guerreiro suportou e até mesmo em seus momentos mais difíceis, ele manteve suas promessas e lutou com honra.

cu-chulainO bravo guerreiro é apropriadamente descrito em uma antiga narrativa celta:
“Um forte homem loiro de quem vitórias são construídas.
cachos ardentes de luz em sua cabeça
Feridas construídas como faixas
Mortal belo e jovem
Na batalha como um dragão …
empunhando 4 elegantes espadas afiadas em suas 2 mãos hábeis.
Seus ossos empunham a espada, a lança, cada uma escolhida para uso especial.
Com sua camuflagem vermelha ele vai através do campo proferindo um hino de batalha “.

As ações e histórias de Cu Chulain brilharam milhares de anos depois de sua vida, e ele é um lembrete do espírito guerreiro que está dentro de cada um de nós. Embora possamos às vezes nos sentir mais alinhados com os soldados malditos de Ulster, vítimas das circunstâncias e confrontados com obstáculos intransponíveis, Cu Chulain desafia-nos a nos esforçar para quebrar essas ilusões. Seja qual for o obstáculo, é uma parte da nossa experiência de aprendizagem como deuses em treinamento, posto lá para nos ensinar que podemos manter o foco e sermos conscientes do quadro maior, mesmo quando o inesperado chega à nossa porta.

Cu Chulain nos ajuda a lembrar que deixar ir o medo permite  cada um de nós abraçar plenamente a alegria da vida no plano físico, vivendo cada momento com a cabeça erguida. Aqui está uma meditação que você pode fazer para despertar o guerreiro dentro de você. Você pode achar que é especialmente útil quando você está se sentindo sobrecarregado.

Preparação de espaço:

Antes de sua preparação pessoal, crie um espaço sagrado no quarto que você optar por fazer a meditação. Tenha um altar representando os quatro elementos.
Terra: Tenha uma pedra de fogo, como cornalina, rubi ou granada ou olho de tigre
Água: Cálice da água do rio, representando os rios do Ulster que levaram a outros mundos
Ar: óleo de sangue de dragão ou incenso
Fogo: duas velas brancas e uma vermelha
Espírito: Representação ou símbolo para representar Cu Chulain tais como estátua, espada, lança, etc.
Oferta: maracujá ou flores vermelhas

Meditação

Use a respiração para relaxar completamente seu corpo, respirando pelo nariz e expirando pela boca. Uma vez relaxado, foque em seu chacra coronário, visualizando uma luz dourada sendo transmitida a partir da coroa. Você está em um lugar tranquilo, descontraído e seguro, sem forma. Você se torna consciente de seu Eu Superior e seu Eu Superior toca o seu terceiro olho. Quando isso ocorre, você emerge em um campo de frente para o seu próprio desafio pessoal, seja ele qual for. Você olha diretamente para o desafio e leva alguns minutos para reconhecê-lo. Reconhecer quaisquer pensamentos ou emoções que surgirem em torno dele.

Agora, o jovem guerreiro Cu Chulain emerge, de pé entre você e o desafio. Você não tem medo, apesar da forte presença do Deus guerreiro. Cu Chulain coloca um objeto em suas mãos. É uma ferramenta de algum tipo, projetada para ajudá-lo a enfrentar o desafio em que você se encontra. Quando  você aceitar este presente, Cu Chulain emite um grito de batalha e aponta para enfrentar o obstáculo que está diante de você. Você corre para a frente e você pode sentir o sopro de Cu Chulain atrás de você. O desafio desaparece e seu medo é substituído com um grande senso de liberdade e de maravilha na suas habilidades como um guerreiro. Cu Chulain sorri para você pouco antes de desaparecer. Você emerge de volta para físico, pronto para enfrentar tudo o que surgir em seu caminho.

Fonte: texto traduzido da MagusMagazine

Conheça as Meditações Guiadas da Escola Moderna de Mistérios, Clique Aqui!